Notícias


Terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Salto receberá diversas oficinas voltadas à palhaçaria

Foto
Palhaça Severina

Contemplado através do Edital 37/2017 do Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (Proac), o projeto “Caminhos da Palhaçaria” de autoria da artista Caroline Severiano (Palhaça Severina), traz à Salto uma série de oficinas relacionadas ao universo da palhaçaria com renomados palhaços e palhaças do Estado.

Além de oferecer à outros a oportunidade de estudar e vivenciar diversas linguagens dentro da arte de ser um palhaço/palhaça, o projeto tem também como objetivo, o aprimoramento técnico e artístico da proponente. As oficinas acontecem em Salto, em locais que serão divulgados posteriormente.

Para os dias 3 e 4 de março, das 9 às 18h, está agendada a oficina “Corpo, estado e criação no jogo do palhaço”, a qual será ministrada por Silvia Leblon, atriz, palhaça e diretora, fundadora do núcleo NaCompanhiaDosAnjos, da Cooperativa Paulista do Teatro.

Na sequência, nos dias 5, 6 e 7, das 19 às 22h, Lu Lopes (Palhaça Rubra), palhaça há 23 anos e atualmente, apresentadora do programa “Rubra e as Criaturas” da TV RATIMBUM, é a responsável pela atividade denominada “Autonomia criativa: a dramaturgia autoral como ferramenta para a diversidade conceitual”.

Por fim, mas não menos importante, a Cia. Mundu Rodá, que em 2000 iniciou uma pesquisa histórica da cultura do Cavalo Marinho da Zona da Mata Norte de Pernambuco, será responsável pela oficina “Treinamento técnico do ator/palhaço a partir das danças tradicionais brasileiras” nos dias 10 e 11 de março, das 9 às 18h e dos dias 20 a 24, a Cia. desenvolve a Oficina de Montagem de Cortejo Cênico Musical. Nos dias 20, 21, 22 e 23 as atividades ocorrem das 19 às 22h e no dia 24, o horário agendado para a oficina é de 9 às 12h incluindo o desfile de um cortejo pela rua 9 de Julho.

Todas as atividades (oficinas) serão gratuitas e os interessados devem enviar até o dia 9 de fevereiro, um email contendo o assunto com o nome da oficina desejada, nome completo, telefone, cidade e email, além de anexarem uma carta de interesse e um breve currículo para severinapalhaca@gmail.com. O resultado das inscrições será publicado no dia 15 de fevereiro na página da Palhaça Severina no Facebook: facebook.com/severinapalhaca.

Oficinas

Para Caroline, o nome do projeto diz muito sobre as oficinas que são destinadas à atores/atrizes, dançarinos/dançarinas e palhaços/palhaças. “Os temas trazem consigo o desejo da busca da criação autoral, de abrir um espaço dentro de mim para que a criação flua somada à todas as demandas da vida de quem luta para viver de arte”, destaca.

Na primeira atividade, ministrada por Silvia Leblon, busca-se trabalhar, a partir de jogos e exercícios corporais específicos, o estado de vulnerabilidade próprio do palhaço e outros estados pelos quais ele, o palhaço, possa transitar, explorando e ampliando os recursos pessoais para a criação, brincando com o corpo, objetos e vestimentas.

Por sua vez, Lu Lopes, buscará em três dias, desenvolver práticas de conexão com a sensibilidade, a percepção e a disponibilidade cênica em prol de um mergulho criativo. O processo envolve integração do grupo, apresentação dos integrantes, desenvolvimento do processo, produção e apresentação artística.

Ao final, a proposta visa uma avaliação coletiva sobre a experiência vivida e uma reflexão sobre o saber gerado.

Dando continuidade ao projeto, no workshop “Treinamento técnico do ator/palhaço a partir das danças tradicionais brasileiras” serão trabalhados diferentes elementos selecionados de danças tradicionais brasileiras como o Cavalo Marinho, Maracatu Rural e Caboclinho, buscando destacar os princípios físicos que fundamentam estas danças. Estes elementos, sistematizados pela Cia. Mundu Rodá permitem a criação de um treinamento técnico pessoal para o trabalho do artista intérprete.

Já para o Cortejo Cênico Musical, a Cia. buscará explorar o teatro físico e a dança, além de estruturas musicais, toques de instrumentos, corporeidades e evoluções coreográficas de Danças Tradicionais Brasileiras.

No primeiro momento a atividade tem o objetivo de mergulhar nos principais elementos que constituem algumas danças tradicionais e posteriormente utilizar estes elementos para a formação de um cortejo cênico musical em espaços não convencionais.

De acordo com Alício Amaral e Juliana Pardo, fundadores da Cia., o foco da oficina está na musicalização do ator/dançarino, na potencialização do corpo-musical em cena e na utilização da arquitetura de espaços não convencionais para realização do cortejo.

Palhaça Severina

Caroline é formada na escola de Palhaços dos Doutores da Alegria de São Paulo e estudou a comicidade com mestres diversos como Leris Colobaioni, Esio Magalhães, Bete Dorgam, Roberta Calza, Dagoberto Feliz, entre outros. Desenvolveu diversos espetáculos e esquetes apresentando-se em praças de diversas cidades do Brasil, incluindo Salto e Itu em 2011 com o espetáculo “1, 2 e 3”.

Residente em Salto há aproximadamente cinco anos, Caroline foi responsável pela realização e produção de junho a agosto de 2016 da “Caravana de Palhaços”, projeto contemplado pelo edital municipal 01/2016 e que contou com diversos espetáculos, cabarés, cortejos e oficinas.

Ainda em Salto a artista foi a proponente do projeto “Palhaçada Severina”, contemplado também pelo edital municipal no ano de 2015. Neste, Caroline desenvolveu um espetáculo solo da “Palhaça Severina”, o qual foi apresentado em praças, escolas e também em festivais pelo Brasil como o “Festival Encontro de Palhaços de Todo Lugar” em Ribeirão Preto e também nas unidades do Sesc de Taubaté e São José dos Campos.   

Imagem
Facebook