Notícias


Terça-feira, 26 de junho de 2018

Prefeitura abre Chamamento Público para gestão do Parque de Lavras

Divulgação/Prefeitura de Salto
Foto
Parque de Lavras em Salto

A Prefeitura de Salto, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo abriu o Chamamento Público para a apresentação e o recebimento de estudos de modelagem operacional, econômico-financeira, jurídica, de engenharia e arquitetura para a revitalização, operação, manutenção e gestão do Parque de Lavras, no modelo de Procedimento de Manifestação de Interesse – PMI.

Com uma área de 269.036,06 m², o Parque de Lavras, que é administrado pelo Poder Público, possui grande área verde, margeando o leito do Rio Tietê, que acaba funcionando como uma reserva de fauna e flora, proporcionando um local de cultura, lazer e contemplação para a população.

As despesas com a manutenção do complexo têm causado dificuldades para a realização dos investimentos necessários para incrementar o fluxo de turistas, por isso, se mostra de extrema relevância para o município o recebimento de estudos que possam contribuir para melhor utilização dos recursos do Parque.

A intenção é prover a municipalidade de área pública dotada de equipamentos modernos e eficazes, capazes de possibilitar sua plena utilização, por seus frequentadores e visitantes, objetivando o aumento da frequência e o incremento do turismo no município como um todo.

Pelo Chamamento, as empresas postulantes deverão respeitar a preservação da finalidade original do Parque e seu patrimônio natural, histórico-cultural e artístico, respeitadas as eventuais limitações de tombamentos incidentes, bem como as normas aplicáveis; garantir que o acesso ao parque municipal seja livre para toda a população; tornar o parque mais atraente para o público em geral e a eventuais parceiros; buscar a exploração de fontes de receitas alternativas e da atração de investimentos privados, com o objetivo de garantir a sustentabilidade financeira do projeto no longo prazo; fomentar o uso de áreas e edificações subutilizadas, como é o caso do Museu e da antiga Usina, buscando o pleno uso desses e dos equipamentos destinados ao lazer, esporte, contemplação, cultura, bem-estar e outras áreas de interesse, bem ampliando e aprimorando a qualidade dos serviços oferecidos; promover a acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, dentre outras.

Imagem
Facebook